PAPA DEFENDE PAZ E MEIO AMBIENTE EM ENCONTRO COM TRUMP NO VATICANO

Papa Francisco aperta as mãos do presidente Donald Trump no Vaticano - OSSERVATORE ROMANO / REUTERS
Papa defende paz e meio ambiente em encontro com Trump no Vaticano

Reunião entre Pontífice e presidente dos EUA durou cerca de 30 minutos e começou tensa

VATICANO — O Papa Francisco recebeu nesta quarta-feira no Vaticano pela primeira vez o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, em uma visita de meia hora que começou tensa e terminou mais descontraída. O encontro começou às 5h30m, no estúdio particular do Papa, no segundo andar do palácio apostólico, sob imponentes medidas de segurança. Durante a reunião, o Papa abordou temas delicados como paz e a importância do meio ambiente.

O presidente americano e sua mulher, Melania, vestida de preto e com véu, percorreram primeiro as suntuosas salas do Vaticano seguidos pelos representantes das famílias nobres italianas, como é tradição para as visitas de chefes de Estado.

O Papa recebeu Trump com um aperto de mãos na porta da biblioteca, e o convidou para entrar no recinto para se sentar no escritório papal. Um tradutor participou do encontro. Francisco deu as boas-vindas, e o presidente americano respondeu "é uma honra".
Os dois líderes têm posições muito diferentes sobre temas como imigração, mudança climática, venda de armas, pena de morte e o Islã.
Não foi uma longa reunião, especialmente quando comparada com os 50 minutos que Francisco dedicou ao antecessor de Trump, Barack Obama, com quem teve uma grande sintonia.
Ao fim da audiência, Trump apresentou a delegação que o acompanha, entre eles sua filha Ivanka e o genro Jared Kushner. E o clima ficou mais ameno:
— Eu não vou esquecer a sua mensagem — prometeu Trump em sua despedida.

Francisco aproveitou a oportunidade para presentear Trump com um medalhão de um ramo de oliveira, símbolo da paz, e com um texto emblemático sobre o assunto.
O documento, com o título "A não violência, estilo de uma política para a paz", escrito pelo Papa argentino por ocasião da Jornada Mundial da Paz 2017, foi entregue pessoalmente pelo Pontífice ao presidente americano.
— Espero que seja um instrumento de paz — disse em espanhol o Papa a Trump, que respondeu: "Vou ler".

— Precisamos de paz — disse em inglês Trump, que presenteou o Papa com uma série de livros de Martin Luther King, o pastor americano e ativista dos direitos civis dos afro-americanos.
— Acredito que vai gostar. Espero — disse Trump.
A audiência com o Papa foi particularmente cedo, porque Francisco devia presidir duas horas mais tarde a tradicional audiência geral das quartas na praça São Pedro diante de milhares de peregrinos de todo o mundo.
O encontro foi fixado após três meses de especulações sobre a reticência de Trump em se reunir com o Pontífice durante sua primeira viagem ao exterior de nove dias.

Durante sua breve visita ao Vaticano, o presidente americano deve se reunir também com o número dois do Vaticano, o cardeal Pietro Parolin e com o secretário para as Relações com os Estados, uma espécie de ministro das Relações Exteriores, monsenhor Paul Gallagher.
Ao término dos encontros, o presidente americano, um protestante presbiteriano, e sua terceira esposa, católica, visitarão a Capela Sistina e a basílica de São Pedro.


Presidente Donald Trump e a primeira-dama, Melania, em reunião privada com o Pontífice - POOL / REUTERS


Presidente Donald Trump e sua mulher, Melania Trump, chegam para encontro a portas fechadas com Papa Francisco no VaticanoFoto: Gregorio Borgia / AP
Após encontrar Papa Francisco, Trump diz estar determinado a buscar a paz
Audiência no Vaticano aconteceu nesta quarta-feira. Visita faz parte da 1ª viagem internacional do presidente americano.

Papa Francisco recebeu presidente americano, Donald Trump, e primeira-dama, Melania, em audiência no Vaticano, na manhã desta quarta-feira (24)  (Foto: Evan Vucci / AFP)

Papa Francisco recebeu presidente americano, Donald Trump, e primeira-dama, Melania, em audiência no Vaticano, na manhã desta quarta-feira (24) (Foto: Evan Vucci / AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, afirmou ter saído “mais determinado do que nunca a buscar a paz” da audiência com o Papa Francisco, no Vaticano, na manhã desta quarta-feira (24). O encontro ocorreu apesar das trocas de farpas entre os dois líderes durante a campanha presidencial americana.
“Honra única na vida encontrar Sua Santidade o Papa Francisco. Deixo o Vaticano mais determinado do que nunca a buscar a PAZ em nosso mundo”, afirmou Trump no Twitter. O presidente americano incluiu o encontro na sua primeira viagem internacional, após ter passado pela Arábia Saudita, Israel e pela Cisjordânia.
O primeiro encontro tinha o objetivo de aproximar o governante americano e o pontífice latino-americano, que discordam em temas importantes como migração, mudança climática, venda de armas, pena de morte e islã.

O presidente dos EUA, Donald Trump, aperta a mão do papa Francisco (Foto: Alessandra Tarantino / Pool / AFP Photo)
O presidente dos EUA, Donald Trump, aperta a mão do papa Francisco (Foto: Alessandra Tarantino / Pool / AFP Photo)
Os dois conversaram em particular por aproximadamente 30 minutos - tempo médio que o papa concede aos governantes-, com ajuda de tradutores. O papa recebeu Trump, que estava acompanhado de sua mulher, Melania, com um aperto de mãos e rosto sorridente na porta da biblioteca, por volta de 8h30 locais (3h30 de Brasília). A primeira-dama usou um vestido negro, um véu e prendeu o cabelo.
De acordo com a porta-voz da primeira-dama, Stephanie Grisham, o protocolo do Vaticano estabelece que mulheres que compareçam às audiências com o papa vistam roupas pretas, de manga longa e cubram a cabeça com um véu.
A Reuters afirmou que o papa não foi tão sociável quanto costuma ser quando recebe chefes de Estado. Já a France Presse disse que ele parecia sério no início do encontro, mas chegou a brincar com Melania, falando sobre a altura do marido, que tem mais de 1,90 metro. "Mas, o que você dá para ele comer?", perguntou, sorrindo.

Da esquerda para direita, Jared Kushner (genro de Trump), Ivank Trump, Melania Trump, Donald Trump e Papa Francisco em audiência no Vaticano (Foto: Alessandra Tarantino/ AP)

Da esquerda para direita, Jared Kushner (genro de Trump), Ivank Trump, Melania Trump, Donald Trump e Papa Francisco em audiência no Vaticano (Foto: Alessandra Tarantino/ AP)


Paz

No final da audiência, o Papa Francisco presenteou Donald Trump com o documento "A não violência, estilo de uma política para a paz", escrito por ele mesmo por ocasião da Jornada Mundial da Paz 2017. "Espero que seja um instrumento de paz", disse o papa em espanhol.
"Precisamos de paz", respondeu em inglês Trump, que presenteou o pontífice com vários livros, todos eles de Martin Luther King - o pastor americano da Igreja Batista que desenvolveu um trabalho crucial nos Estados Unidos à frente do movimento pelos direitos civis para os afro-americanos. "Acredito que vai gostar. Espero", disse Trump.
A Reuters diz que Francisco ofereceu ainda ao presidente uma pequena escultura de uma oliveira e disse, por meio do tradutor, que o objeto simboliza a paz. "É o meu desejo que você se torne uma oliveira para construir a paz", disse o papa, falando em espanhol.
Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump,visitam a capela Sistina, no Vaticano, nesta quarta-feira (24) (Foto: Osservatore Romano/ Reuters)

Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, e a primeira-dama, Melania Trump,visitam a capela Sistina, no Vaticano, nesta quarta-feira (24) (Foto: Osservatore Romano/ Reuters)


Clima

O Papa Francisco ainda entregou a Trump uma cópia de sua encíclica de 2015 sobre a necessidade de se proteger o meio ambiente dos efeitos das mudanças climáticas – tocando em um assunto em que eles discordam. "Irei ler", disse Trump.
Ainda de acordo com relato da Reuters, o presidente dos EUA disse ao pontífice: "Obrigado, obrigado. Não esquecerei o que o senhor disse".
Trump apresentou ao pontífice a delegação que o acompanhava, com sua filha mais velha, Ivanka, e o genro, Jared Kushner.
Durante a breve visita ao Vaticano, o presidente americano também tinha previsto um encontro com o número dois da Santa Sá, o cardeal Pietro Parolin, e com o secretário para as Relações com os Estados, uma espécie de ministro das Relações Exteriores, monsenhor Paul Gallagher. A primeira-dama visitou um hospital em Roma.
O presidente americano, um protestante presbiterano, e sua terceira esposa, católica, visitararam a Capela Sistina e a Basílica de São Pedro.
Antes de pegar o avião para Bruxelas, Trump se encontrou com o primeiro-ministro italiano, Paolo Gentiloni.

Fonte:http://g1.globo.com/mundo/noticia/papa-francisco-recebe-trump-no-vaticano.ghtml

Donald Trump e sua mulher, Melania, que usou um vestido e véu negros (Foto: Alessandro Bianchi / Reuters)
 Donald Trump e sua mulher, Melania, que usou um vestido e véu negros (Foto: Alessandro Bianchi / Reuters)
A primeira-dama Melania Trump visita o hospital Bambino Gesu, em Roma, na Itália (Foto: Remo Casilli/Reuters)
A primeira-dama Melania Trump visita o hospital Bambino Gesu, em Roma, na Itália (Foto: Remo Casilli/Reuters)

Por que Ivanka e Melania usam véu no Vaticano, mas não na Arábia Saudita?

Apesar de debate sobre decisão política, Riad não obriga ocidentais a cobrirem a cabeça


Papa Francisco caminha em frente à primeira-dama americana, Melania Trump, e a filha e assessora do presidente Donald Trump, Ivanka - ALESSANDRA TARANTINO / AFP

WASHINGTON — Cobrir-se ou não cobrir-se, eis a questão. A primeira-dama americana, Melania Trump, e a filha e assessora do presidente Donald Trump, Ivanka, acompanham o presidente americano em sua viagens internacionais. As duas usaram véu para encontrar com o Papa Francisco, nesta quarta-feira no Vaticano, mas dispensaram o lenço dias antes quando para encontrar o rei do país islâmico. Por que a diferença?

A provável resposta é uma mistura de preferência pessoal, protocolo diplomático e regras religiosas. O protocolo do Vaticano diz que as mulheres que devem encontrar o Papa devem vestir mangas longas, roupas formais pretas e um véu para cobrir a cabeça. As regras não

são estritamente aplicadas já que diversas mulheres visitam o pontífice sem usar lenço.

 
Já na Arábia Saudita, o governo não pede que mulheres ocidentais cubram a cabeça durante viagem. Apesar do debate se a decisão de usar véu no Vaticano e não na Arábia tenha sido política, a assessora de Melania, Stephanie Grisham, afirmou que não houve nenhum pedido do país para que a primeira-dama usasse véu durante sua visita ao país.
A monarquia saudita impõe uma série de restrições às mulheres, mas as estrangeiras que visitam o local não costumam seguir a tradição islâmica. A premier do Reino Unido, Theresa May, e a chanceler federal alemã, Angela Merkel, também evitaram usar lenços na cabeça durante visitas neste ano. A primeira-dama americana também não visitou nenhum local sagrado para os sauditas, onde o lenço sobre a cabeça poderia ser requerido.

A decisão da primeira-dama, e também de Ivanka (que é judia convertida), de não usar o véu levantou dúvidas sobre a opinião de Trump sobre o uso do véu durante a viagem, já que há dois anos, quando o então presidente Barack Obama visitou o país árabe, criticou a primeira-dama Michelle Obama por não cobrir-se com um lenço.
De acordo com fontes familiares com a preparação das viagens, a ex-modelo considera obedientemente cada roupa que veste durante sua viagem como primeira-dama. Inclusive, ela tem tentado evitar qualquer embaraço.
Ao contrário de sua esposa, o presidente americano passa menos tempo se preparando para os costumes locais. Segundo fontes ligadas ao chefe da Casa Branca, ele passou as últimas semanas quando inteiramente focado em problemas e acordos em vez de protocolos de viagens.


Fonte: https://oglobo.globo.com/mundo/por-que-ivanka-melania-usam-veu-no-vaticano-mas-nao-na-arabia-saudita-21388209#ixzz4i2GzXzJy 

 

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM VERTICAL : PAREDES VIVAS,COMO SOLUÇÃO PARA OS TEMPOS MODERNOS

PLANTAS COMPANHEIRAS E PLANTAS ANTAGÔNICAS : ALELOPATIA

XINGU : O PARQUE NACIONAL INDÍGENA DO XINGU