PEQUIM EMITE 2º ALERTA VERMELHO DA HISTÓRIA CONTRA A POLUIÇÃO

Pequim emite 2º alerta vermelho da história contra poluição

Pequim emite 2º alerta vermelho da história contra poluição

18-12-2015 às 12:03

As autoridades chinesas decretaram hoje novamente «alerta vermelho» devido ao índice de poluição atmosférica na capital do país, Pequim. Trata-se da segunda vez na história da cidade que o índice chega ao máximo, tendo a primeira ocorrido a 7 de Dezembro.

 Em comunicado, o gabinete de meteorologia de Pequim disse que nuvens de poluição atingirão a capital no sábado.
A poluição não se dissolverá antes de quarta-feira e a estimativa é de que a concentração de partículas PM2,5 (as mais finas e suscetíveis de se infiltrarem no pulmão) chegará a 500 por metro cúbico de ar.  

A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera que 25 metros cúbicos de partículas PM2,5 já são perigosas para a saúde.
A visibilidade em Pequim deverá ficar a menos de um quilómetro.  

Em consequência do alerta vermelho, será restringida a circulação de carros e algumas fábricas deverão reduzir as actividades.
Churrascos e festas ao ar livre que promovam fumo serão proibidas.
Em relação ao funcionamento das escolas, caberá a cada direção institucional decidir.
Outra orientação à população é evitar actividades na rua.

Em Novembro, após uma nuvem de poluição cair sobre Pequim, as autoridades locais foram alvos de críticas por não terem declarado alerta vermelho nem adoptado medidas contra a situação.  

Pequim poderá falhar meta anual de melhoria da qualidade do ar

Pequim poderá falhar meta anual de melhoria da qualidade do ar

Pequim voltou hoje a acordar sob uma nuvem cinzenta, na quarta vaga de poluição a atingir a cidade desde novembro e que poderá comprometer a meta das autoridades de melhoria da qualidade do ar para este ano.

A capital chinesa definiu como objetivo a redução da densidade das partículas PM 2.5 - as mais finas e suscetíveis de se infiltrarem nos pulmões - em 5% ao ano.
Em 2014, a concentração foi, em média, de 86 microgramas por metro cúbico, e nos primeiros 11 meses deste ano o mesmo indicador fixou-se em 74.
Diário Digital / Lusa

Fonte:http://diariodigital.sapo.pt/news.asp?id_news=804186

Postagens mais visitadas deste blog

JARDIM VERTICAL : PAREDES VIVAS,COMO SOLUÇÃO PARA OS TEMPOS MODERNOS

PLANTAS COMPANHEIRAS E PLANTAS ANTAGÔNICAS : ALELOPATIA

XINGU : O PARQUE NACIONAL INDÍGENA DO XINGU