Pular para o conteúdo principal

PLANTAS TÓXICAS - CUIDADO POIS APESAR DE BELAS PODEM SER FATAIS

Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima)

Bico de papagaio


plantas tóxicas

As plantas tóxicas, tais como comigo-ninguém-pode e copo-de-leite, são responsáveis por uma grande quantidade de acidentes, que normalmente envolvem crianças.
Folhas coloridas e flores chamativas e cheirosas. São várias as características que deixam as plantas atrativas aos nossos olhos. Entretanto, o que muitos esquecem é que essas mesmas plantas podem escondersubstâncias que apresentam grande toxicidade.
Todos os anos uma grande quantidade de acidentes com plantas tóxicas ocorre no Brasil. Isso se deve ao fato de que muitas possuem interesse ornamental e, por isso, são encontradas facilmente em jardins, residências e até em locais públicos.
Segundo o Sistema Nacional de Informações Tóxico-Farmacológicas (SINITOX),60% dos registros de intoxicação por plantas ocorrem em crianças menores de nove anos e, na grande maioria das vezes, de forma acidental. Sendo assim, a atenção deve ser redobrada no que diz respeito a plantas de fácil acesso a crianças.
Observe a seguir exemplos de algumas plantas que causam risco à nossa saúde e são facilmente encontradas no Brasil:
Essa planta é bastante usada em decorações de natal, apesar de ser tóxica
Essa planta é bastante usada em decorações de natal, apesar de ser tóxica
Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima- Essa planta altamente conhecida apresenta substâncias tóxicas em todas as suas partes. Aquela substância leitosa (látex) produzida pela planta pode provocar irritações na pele, como coceiras e sensação de queimação. Caso a planta seja ingerida, pode causar vômitos e diarreias, além de causar inchaço na boca e língua. Em contato com o olho, pode causar irritações e prejudicar a visão.
Se ingerida, essa planta causa problemas sérios, uma vez que possui oxalato de cálcio
Se ingerida, essa planta causa problemas sérios, uma vez que possui oxalato de cálcio
Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia picta- Todas as porções dessa planta são consideradas tóxicas em razão da presença de cristais de oxalato de cálcio. Se for ingerida, pode provocar inchaço na boca e língua, náusea, vômito, diarreia, produção exagerada de saliva e até mesmo asfixia. Se colocada em contato com os olhos, pode levar a lesões na córnea.
Muito usada ornamentalmente, essa planta apresenta alta toxicidade
Muito usada ornamentalmente, essa planta apresenta alta toxicidade
Copo-de-leite (Zantedeschia aethiopica- Essa planta também apresenta toxicidade em todas as suas partes em virtude da presença de grande quantidade de oxalato de cálcio. Se ingerida, causa inchaço na boca e língua, náusea, vômitos, diarreia, produção exagerada de saliva, dificuldade na deglutição e asfixia. Assim como a comigo-ninguém-pode, se colocada em contato com os olhos, pode causar lesões na córnea.
Essa planta possui um látex que causa bastante irritação na pele e mucosas
Essa planta possui um látex que causa bastante irritação na pele e mucosas
Coroa-de-cristo (Euphorbia milii- Todas as porções dessa planta são tóxicas em virtude da presença de látex, que pode causar irritação na pele e nas mucosas. Caso seja ingerida, é responsável por causar náusea, vômito e diarreia, além de provocar inchaço na boca e língua. Quando em contato com os olhos, acarreta irritações que podem provocar dificuldade para enxergar.
A ingestão de sementes de mamona pode levar à morte
A ingestão de sementes de mamona pode levar à morte
Mamona (Ricinus communis- A toxidade dessa planta está em suas sementes, que apresentam uma substância conhecida como ricina. Apesar de não ser usada como ornamental, essa planta é facilmente encontrada em terrenos baldios. A ingestão de suas sementes causa sérios problemas gastrointestinais, incluindo-se náusea, vômito e diarreias sanguinolentas. Dependendo da quantidade ingerida, pode levar a convulsões, coma e até a morte.
A presença de alcaloides torna essa planta bastante perigosa
A presença de alcaloides torna essa planta bastante perigosa
Trombeteira (Datura suaveolens) - Toda a planta é considerada tóxica em virtude da presença de alcaloides. Ao ser ingerida, pode causar sensação de boca seca, taquicardia, alucinações, agitação e dilatação de pupilas. Em alguns casos, pode levar à morte.
Existem várias outras plantas que podem provocar acidentes graves. Como exemplos, podemos citar ainda o pinhão-roxo, a mandioca-brava, o jasmim-de-caiena, o chapéu-de-napoleão, a espirradeira e a urtiga.
Diante da tamanha quantidade de plantas com princípios ativos que causam mal à nossa saúde, algumas medidas preventivas devem ser tomadas. Veja a seguir algumas dicas:
- Não deixe plantas em locais acessíveis a crianças e sempre as ensine a respeito dos perigos de alguns vegetais;
- Procure informar-se a respeito da toxicidade das plantas que estão em sua casa;
- Bastante cuidado ao podar plantas que produzem substância leitosa (látex), pois elas podem causar reações desagradáveis. Usar luvas e sempre lavar as mãos após mexer nos jardins são procedimentos fundamentais;
- Sempre que perceber algum sintoma desagradável após manipular uma planta, procure o médico. O mesmo é válido para quando você observar que alguém ingeriu alguma planta considerada tóxica.

Por Ma. Vanessa dos Santos
Fonte:http://brasilescola.uol.com.br/biologia/plantas-toxicas.htm
Gostaria de fazer a referência deste texto em um trabalho escolar ou acadêmico? Veja:
SANTOS, Vanessa Sardinha Dos. "Plantas tóxicas"; Brasil Escola. Disponível em <http://brasilescola.uol.com.br/biologia/plantas-toxicas.htm>. Acesso em 21 de abril de 2016.

Saiba quais as plantas tóxicas que você tem em casa

Olá, pessoal!
Hoje vamos falar sobre um tema muito importante para quem tem criança pequena e animais domésticos em casa…as plantas tóxicas!
Como já dissemos antes, toda planta é tóxica, porém o que diferencia uma da outra é seu grau de toxicidade. Boa parte das plantas que conhecemos (e consumimos) apresenta uma toxicidade muito baixa, ou seja, somente se ingerirmos em concentrações muito altas elas seriam capazes de nos fazer mal. Já outras são capazes de fazer mal à nossa saúde (e à dospets) somente pelo simples contato com a pele ou pela ingestão de uma quantidade muito pequena.
Então vamos lá, seguem abaixo algumas plantas que possuem toxicidade relevante na hora da manipulação e/ou ao ingerirmos…
  • Arruda (Ruta graveolens): altamente tóxica, sendo que sua ingestão é desaconselhada. Em mulheres grávidas é abortiva, causa confusão mental, convulsões e dores violentas nos intestinos.  Durante o manuseio, o seu óleo pode causar irritações à pele. Pode ser usada externamente apenas.  É considerada uma erva de limpeza, podendo ser usada em banhos, defumações e benzimentos. Faz parte do vaso de sete ervas.
Arruda (Ruta graveolens)
Arruda (Ruta graveolens) ©Sabor de Fazenda
  • Aveloz (Euphorbia tirucalli): produz látex cáustico irritante à pele e mucosas quando cortada. É bem frequente a ocorrência de acidentes com esta planta durante a jardinagem e brincadeiras de crianças. Portanto evite deixá-las em locais que circulam crianças e animais domésticos e quando for manuseá-la tome cuidado. 
Aveloz (Euphorbia tirucalli)
Aveloz (Euphorbia tirucalli) ©Sabor de Fazenda
  • Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima): outra representante do gênero Euphorbia (assim como a aveloz e coroa-de-espinho), possuindo todas as propriedades tóxicas do grupo, devido ao seu látex cáustico. Esta espécie passou por um intenso melhoramento genético, que lhe conferiu caráter de ornamental, sendo muito comercializada no período próximo ao Natal.
Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima)
Bico-de-papagaio (Euphorbia pulcherrima) ©Sabor de Fazenda
  • Cânfora (Artemisia camphorata): não causa danos à pele quando manipulada, porém apresenta toxicidade ao ser ingerida. Popularmente, é apresenta uso externo para sanar problemas de contusões e problemas do sistema respiratório.
Cânfora (Artemisia camphorata)
Cânfora (Artemisia camphorata) ©Sabor de Fazenda
  • Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena): planta ornamental (facilmente encontrada nos quintais de nossas avós) e tóxica em todas suas partes, sendo responsável por graves casos de intoxicação, principalmente em crianças. Sua ingestão e contato provocam irritação nas mucosas e pele. Em humanos e animais domésticos pode causar edema nos lábios, língua e palato, cólicas abdominais, náuseas, vômitos e nos olhos causa lesão e irritação nas córneas. Também é considerada uma erva de proteção, fazendo parte do vaso de sete ervas.
Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena)
Comigo-ninguém-pode (Dieffenbachia amoena) ©Sabor de Fazenda
  • Confrei (Symphytum officinale): esta planta é popularmente conhecida pela sua ação cicatrizante, sendo empregada para a cura de úlceras e gastrites, porém ela possui ação hepatotóxica, decorrente da presença de alcalóides pirrolizidínicos. Por isto, seu uso interno deve ser evitado! Externamente não causa irritações à pele, sendo usada na forma de compressas e cataplasmas para cicatrizar feridas e ossos fraturados.
Confrei (Symphytum officinale)
Confrei (Symphytum officinale) ©Sabor de Fazenda
  • Coroa-de-espinho (Euphorbia milii): assim como a coroa de cristo e outras espécies do gênero Euphorbia, é causadora de intoxicações, pois seu látex tem propriedade cáustica. Também causa frequentes casos de intoxicação devido à jardinagem e brincadeiras de crianças (“comidinha”).
Coroa-de-espinho (Euphorbia milii)
Coroa-de-espinho (Euphorbia milii) ©Sabor de Fazenda
  • Trombeteira (Brugmansia suaveolens): comumente confundida com lírios, possui frutos com cápsulas espinhosas, cada um com uma semente. É venenosa em todas suas partes e ao esfregar suas folhas ela emana um cheiro intenso e fétido. Sintomas da intoxicação são por esta planta são: vermelhidão, secura da pele, boca seca, tonturas, cãibras e alucinações. Suas flores podem ser roxas (foto abaixo) ou brancas, dependendo da variedade.
Trombeteira (Brugmansia suaveolens)
Trombeteira (Brugmansia suaveolens) ©Sabor de Fazenda
  • Urtiga (Urtica dioica): os pelos presentes em suas folhas e caules causam dor imediata ao serem manipulado com as mãos desprotegidas. Estes pelos possuem efeito irritativo, causando inflamação, vermelhidão cutânea, bolhas e coceira, devido à presença de histamina, acetilcolina, serotonina. Em todo o Brasil, esta planta é muito utilizada como cerca-viva.
Urtiga (Urtica dioica)
Urtiga (Urtica dioica) ©Sabor de Fazenda
Por isto, tome cuidado ao escolher o tipo de planta e o local que irá colocá-la, se você tem crianças e animais domésticos em casa. E quando for manuseá-la, como podar, use sempre luvas.  
No post da semana que vem falaremos sobre plantas ornamentais que podemos ter em casa e que não apresentam toxicidade relevante. Até lá!

Av. Nadir Dias de Figueiredo, 395 – Vila Maria, São Paulo 
Fonte:https://viveirosabordefazenda.wordpress.com/2014/07/17/saiba-quais-as-plantas-toxicas-que-voce-tem-em-casa/

Plantas Tóxicas


Muitas plantas, apesar de belas, apresentam substâncias tóxicas, ou seja: que podem provocar sintomas como coceira e vermelhidão na pele, caso sejam tocadas; vômito, falta de ar, aumento dos batimentos cardíacos, dentre outros. Em alguns casos, inclusive, podem causar a morte.

A presença dessas substâncias é uma forma de defesa da planta a seus predadores (aqueles animais que se alimentam dela). Assim, ao provar um pedaço de algumas dessas plantas e não passar bem, dificilmente um animal fará isso de novo com esse vegetal, ou outro parecido.

Pensando assim, é fácil saber que não é seguro levarmos à nossa boca pedaços ou plantas inteiras que não conhecemos. Por outro lado, como há crianças que ainda não aprenderam isso, e existem plantas tóxicas que podem provocar problemas mesmo quando as tocamos; é importante conhecermos as principais encontradas em nosso país, para evitar esse problema. 

Sabendo quais são, é interessante que não sejam plantadas em casa ou, caso isso já tenha sido feito, é importante evitar que crianças pequenas tenham acesso a elas, e sejam orientadas, desde cedo, a não colocarem esses vegetais na boca ou manipulá-las.

Em caso de acidentes, o ideal é que a pessoa envolvida receba assistência médica urgente
, sendo a planta guardada para que seja corretamente identificada. Neste site estão disponíveis os telefones e endereços dos Centros de Informação e Assistência Toxicológica encontrados no país. 

Abaixo, as principais plantas tóxicas encontradas no Brasil. Vale lembrar que muitas delas são encontradas em jardins, quintais, parques, vasos, praças e terrenos baldios:

1- Comigo-ninguém-pode. Nome científico: Dieffenbachia picta;
2- Tinhorão ou caládio (Caladium bicolor);
3- Taioba-Brava (Colocasia antiquorum);
4- Copo-de-Leite (Zantedeschia aethiopica).

1- Bico-de-papagaio. Nome científico: Euphorbia pulcherrima
2- Coroa-de-Cristo (Euphorbia milii);
3- Avelós (Euphorbia tirucalli);
4- Mandioca-Brava (Manihot utilissima): somente a raiz e as folhas são tóxicas.

1- Mamona. Nome científico: Ricinus communis. Somente as sementes são tóxicas;
2- Cinamomo (Melia azedarach): somente os frutos e as folhas são tóxicos;
3- Aroeira-brava ou bugreiro (Lithraea brasiliensis); 
4- Saia-Branca (Datura suaveolens).

1- Urtiga (Fleurya aestuans): somente os pelos do caule e as folhas são tóxicos, irritando a pele caso sejam tocados;
2- Espirradeira (Nerium oleander);
3- Chapéu-de-Napoleão (Thevetia peruviana): a ingestão e o contato com o látex provocam sintomas; 
4- Pinhão-roxo (Jatropha curcas): somente as folhas e os frutos são tóxicos.

Por Mariana Araguaia
Bióloga, especialista em Educação Ambiental
Fonte:http://escolakids.uol.com.br/plantas-toxicas.htm


As plantas mais venenosas do planeta

  • 28 agosto 2015



Image captionA mamona contém ricina e está entre as plantas mais tóxicas do mundo

Em 2014, o jardineiro de uma casa de campo na Grã-Bretanha morreu misteriosamente após sofrer falência múltipla de órgãos.
Ainda não se sabe ao certo a causa da morte, mas uma investigação sugere que ele teria sido vítima de uma planta de floração bastante popular, que faz parte da família das ranunculáceas.
As flores azuis da planta em questão, do gênero Aconitum, se assemelham ao capuz de um hábito de monge, de onde ganha o nome popular de capuz-de-frade. Mas, em muitos lugares, os acônitos também são conhecidos por nomenclaturas mais sinistras, como "mata-lobo" ou "capacete-de-júpiter", ou ainda "rainha das peçonhas", em inglês.
E não é à toa: os acônitos estão entre as plantas mais letais do mundo.
Sua parte mais tóxica é a raiz, apesar de as folhas também concentrarem uma boa quantidade de veneno. Essas partes contêm uma neurotoxina que pode ser absorvida pela pele.
Os primeiros sintomas de envenenamento são coceira e dormência no local de contato, ou vômitos e diarreia, se a planta for ingerida.

Queimaduras e desidratação


Image captionA 'Heracleum mantegazzianum' provoca fortes queimaduras em leve contato com a pele

Em 2010, Lakhvir Singh foi condenada pelo assassinato de seu namorado depois de envenená-lo com uma espécie de acônito indiano. Além de causar um grave mal-estar gastrointestinal, o veneno reduz os batimentos cardíacos lentamente, o que pode levar à morte.
Mas nem todos os casos são tão infelizes. Segundo o especialista em plantas venenosas John Robertson, o mecanismo do vômito permite que o corpo elimine as substâncias tóxicas. "Já conheci pessoas que comeram acônito por acidente e sobreviveram", conta.
A teoria popular é de que as toxinas evoluíram nas plantas como uma forma de defesa. Em algumas espécies, os compostos químicos produzidos para afastar insetos e outros microrganismos também podem prejudicar grandes animais.
Os efeitos podem ser aumentados por causa de um fenômeno chamado fototoxicidade, pelo qual substâncias de plantas entram em contato com a pele humana e aí reagem com a exposição ao sol, resultando em queimaduras duradouras. A Heracleum mantegazzianum é a planta com a pior reputação nesses casos, mas vegetais "inofensivos" como a cenoura, o aipo e o limão também podem danificar a pele sob certas condições.

'Maçã da morte'


Image captionNa América Latina, o fruto da mancenilheira é conhecido como 'maçã da morte'

Uma das piores espécies intocáveis, independentemente da estação do ano, tem a dúbia honra de ser a árvore mais perigosa do mundo. A mancenilheira (Hippomane mancinella) cresce em uma faixa que vai do norte da América do Sul até a Flórida, passando pelo Caribe. Em algumas regiões, populações locais as identificam pintando-as com um "X" vermelho.
A seiva leitosa produzida por essa árvore contém a substância forbol, que é altamente irritante. Um leve toque já é suficiente para provocar uma terrível queimadura. Usá-la como abrigo durante uma chuva normalmente é uma péssima ideia, já que mesmo a seiva diluída é capaz de causar uma coceira extrema.
E queimar essas árvores tampouco é a solução. A fumaça produzida pode deixar uma pessoa temporariamente cega e provocar graves problemas de respiração.
O maior perigo da mancenilheira, no entanto, é o seu pequeno fruto redondo. Nos países hispânicos onde a planta vive, a iguaria é conhecida como "maçã da morte", já que provoca diarreias e vômitos severos, levando a uma rápida desidratação.

O perigo da mamona


Image captionO óleo de mamona é produzido a partir das sementes, mas por causa da proteína ricina a planta tem a reputação de ser a mais venenosa do planeta

Quando se fala em plantas que nunca deveriam ser levadas à boca, uma se destaca das demais e pode estar perto de você neste exato momento. A mamona (Ricinus communis) é um arbusto elogiado por trazer cores vibrantes ao jardins, graças a suas folhas verdes e roxas e suas inusitadas cápsulas de sementes.
O óleo de mamona (ou olho de rícino), velho conhecido de quem sofre de prisão de ventre, é produzido a partir dessas sementes. Mas é justamente por causa da proteína ricina que a planta tem a reputação de ser a mais venenosa do planeta.
Depois que o óleo laxante é extraído, os resíduos das sementes formam um potente coquetel de toxinas. A ricina mata ao interferir no metabolismo celular, o processo químico mais básico para sustentar a vida.
A criação de proteínas essenciais é bloqueada, levando à morte da célula. Vítimas de intoxicação por ricina costumam sofrer vômitos, diarreia e convulsões por até uma semana antes de morrer por falência de órgãos.
As histórias em torno da planta são tão misteriosas que chegaram até à cultura pop, tendo aparecido no livro Morte à Espreita, de Agatha Christie, e no seriadoBreaking Bad, entre outras obras.

A dose certa

Por que então podemos cultivar livremente essas plantas em jardins?
"Há uma diferença entre venenoso e prejudicial. É preciso levar em consideração fatores como a probabilidade de alguém comer uma dessas plantas ou a facilidade de ministrar as substâncias presentes nelas", afirma Robertson.
A casca da mamona é tão dura que, se o fruto for ingerido inteiro, é capaz de passar pelo trato digestivo sem provocar danos letais. E a ricina é muito mais potente quando é injetada no organismo.
Já um veneno da mesma família, o ácido ábrico, vem com uma espécie de alerta de perigo. As sementes da ervilha do rosário (Abrus precatorius) são ovaladas e têm uma bela cor vermelha, sendo usadas na fabricação de colares e pulseiras.
O ácido ábrico é semelhante à ricina, mas ainda mais potente em sua forma pura. Felizmente, as ervilhas têm uma casca dura que impede que as toxinas sejam absorvidas pelo corpo.
Morrer por causa do veneno de uma planta é algo bastante raro na atual medicina moderna, graças a um diagnóstico mais rápido. Além disso, muitas dessas toxinas precisariam ser purificadas para chegarem a uma dose letal.
De qualquer forma, não custa abrir os olhos e tomar cuidado quando for explorar um jardim.
Fonte:http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2015/08/150827_vert_earth_plantas_venenosas_ml

Descubra quais são as 11 plantas mais venenosas do mundo

Talvez você não saiba, mas existe uma grande probabilidade de uma de suas belas plantinhas do jardim poder produzir um poderosíssimo veneno capaz de matá-lo por asfixia ou ataque cardíaco em pouquíssimo tempo. Em geral, a toxina desses vegetais serve para protegê-los de predadores, mas ela também consegue matar humanos desavisados.
Nós já mostramos para você sete flores bonitas, mas que são extremamente tóxicas. Agora, você confere uma lista com 11 plantas que possuem uma quantidade tão grande de tóxicos que algumas delas podem matar em questão de poucas horas.

11. Nerium oleander (oleandro)

Todas as partes do belo oleandro possuem diversos tipos de toxina, sendo as duas mais fortes a oleandrina e a neriine, que afetam drasticamente o coração. Na verdade, o veneno da planta é tão forte que é possível morrer apenas comendo o mel de uma abelha que utilizou seu néctar como fonte.
Originalmente, a Nerium oleander nasceu nas áreas do mediterrâneo e do Extremo Oriente. Porém, devido à sua beleza exorbitante, ela passou a ser cultivada com propósitos decorativos. Por instinto, os animais costumam se afastar dela. Além disso, basta uma folha para matar uma criança.

10. Ageratina altíssima (white snakeroot)

Essa é uma planta nativa da América do Norte e uma das mais venenosas do mundo. Suas flores são brancas e, depois de desabrocharem, liberam pequenas sementes fofas que são carregadas pelo vento. Apesar de bela, a white snakeroot contém um alto teor de tremetol – uma substância que mata pessoas indiretamente.
Quando a espécie é comida pelo gado, a toxina é absorvida pelo leite e pela carne. Depois, quando o humano se alimenta do animal contaminado ou bebe de seu laticínio, o componente entra no corpo e causa a chamada “doença do leite”, que por sua vez é extremamente fatal.
No início do século 19, centenas de europeus desafortunados morreram disso nos EUA. Acredita-se que a mãe de Abraham Lincoln, Nancy Hanks, foi uma das vítimas.

9. Actaea pachypoda (olho-de-boneca)

A olho-de-boneca, também conhecida como white baneberry, pode até parecer simpática, mas é muito perigosa. Nativa da área norte e leste da América do Norte, essa planta florida, que mede apenas 1 cm de diâmetro e tem pequenas frutinhas brancas com uma mancha preta, é muito semelhante ao objeto que lhe dá nome.
Ainda que toda a espécie tenha sido considerada danosa ao homem, a maior parte de sua toxina fica concentrada no fruto. Infelizmente, muitas crianças já foram vítimas da White Baneberry, porque, além de bela, ela É muito doce. A baga contém uma toxina chamada carcinógeno, que possui efeito sedativo, quase que imediato, no músculo cardíaco humano e causa morte rápida.

8. Brugmansia suaveolens (trombeta-de-anjo)

Essa é uma planta nativa da América do Sul, podendo ser encontrada em diversas regiões do Brasil. O nome trombeta-de-anjo se deve ao formato de pêndulo da flor, que em geral possui coloração branca e amarela, embora seja possível encontrar variedades e híbridos de tons rosados.
Com tamanho entre 14-50 cm, todas as partes da Brugmansia suaveolens são consideradas tóxicas e narcóticas. Ela contém alcaloides tropânicos como escopolamina, atropina e hiosciamina. Mesmo sabendo do perigo, algumas pessoas ingerem um chá feito com as flores como um potente alucinógeno.
O nível de toxicidade varia conforme o tipo da planta, sendo praticamente impossível saber quanto veneno uma pessoa tomou. Em geral, quem brinca com a trombeta-de-anjo acaba tendo uma overdose e morrendo ou sofrendo de paralisia dos músculos lisos, taquicardia, confusão, midríase, alucinações visuais e auditivas.
Embora seja perigosa, a espécie também possui propriedades medicinais, tais como antiasmática, cardiotônica e anticonvulsivante. Não é incomum ela ser utilizada para fabricação de remédios para mal de Parkinson, problemas cardíacos, síndrome pré-menstrual e infecções urinárias.

7. Strychnos nux-vomica (noz-vómica ou fava-de-santo-Inácio)

A noz-vómica é uma planta de tamanho mediano nativa da Índia e do sudoeste da Ásia. Seus pequenos frutos arredondados (parecidos com laranjas) são altamente perigosos, pois contêm os alcaloides venenosos estricnina e brucina. Por sua vez, as sementes possuem 1,5 % do primeiro composto, e as extremidades florais secas dispõem de cerca de 1 %.
Com apenas 30 mg desses componentes, é possível matar um adulto de forma violenta e dolorosa, causando convulsões e estímulos simultâneos no gânglio sensorial da espinha. No entanto, a noz-vómica também tem propriedades medicinais para combater astenia cardíaca, paralisias, neurastenia, sintomas de uso de entorpecentes e problemas gastrintestinais tóxico-infecciosos.

6. Taxus baccata (teixo)

Nativo da Europa, sudoeste da Ásia e noroeste da África, o teixo produz um belo fruto vermelho e macio que protege suas sementes. Por sorte, essa é a única parte da planta que não contém veneno, possibilitando que os pássaros comam a casca e espalhem as sementes sem se infectarem.
Uma dose de 50 g de teixo é fatal para um homem. Os sintomas da intoxicação incluem dificuldade respiratória, tremor muscular, convulsão, desmaio e parada cardíaca. Em casos de intoxicações severas, a morte pode ocorrer de forma tão rápida que não há tempo para que todos os sinais sejam apresentados.

5. Cicuta (water hemlock)

Water hemlock é um grupo de plantas extremamente venenoso e que pode ser encontrado nas regiões temperadas do hemisfério norte. Todas elas possuem flores brancas ou amarelas bastante distintas, que são dispostas em formato de guarda-chuva. Nos EUA, essas simpáticas plantinhas são consideradas as mais danosas de todas.
Elas contêm uma substância conhecida como cicotoxina, que causa convulsões, e todas as partes do espécime são perigosas – principalmente a raiz, onde o veneno é mais potente. Além da convulsão quase que imediata, outros sintomas incluem náusea, vômito, dores abdominais, tremores e confusão. Geralmente, a morte é causada por insuficiência respiratória ou fibrilação ventricular, que ocorrem poucas horas após a ingestão.

4. Aconitum (wolfsbane)

Também conhecido como “capacete-do-diabo”o aconitum é uma espécie da família Ranunculaceae. Essas plantas vivazes são nativas das regiões montanhosas do hemisfério norte e possuem uma grande quantia do alcaloide pseudaconitina, o qual é usado na ponta das flechas do povo Ainu do Japão para caçar.
Caso ocorra a ingestão, a pessoa sofre queimação abdominal e nos membros do corpo. Em grandes doses, a morte pode ocorrer dentro de 2 a 6 horas, bastando apenas o consumo de 20 mg para pôr fim à vida de um humano adulto.
Curiosidade: a capacete-do-diabo também é mencionado na mitologia e nos contos de lobisomens, em que é usado para afastar as criaturas ou reverter o estágio da transformação independentemente da fase da lua.

3. Abrus precatorius (ervilha do rosário)

Também conhecida como “olho-de-caranguejo”, essa é uma plantinha de pode atingir os 60 cm e que possui flores papolíacias de cor violeta, agrupadas em cachos. Em geral, elas nascem junto aos troncos das árvores e pertencem originalmente à região da Indonésia, embora possam ser encontradas em diferentes lugares do mundo.
O veneno que a ervilha do rosário contém, o abrin, é muito parecido com a ricina de outras plantas tóxicas. No entanto, a substância do olho-de-caranguejo é 75 vezes mais forte, portanto a dose letal é muito menor. São necessários apenas 3 microgramas de abrin para matar um adulto.
Dada a sua aparência arredonda, algumas pessoas utilizam a Abrus precatorius como pulseira ou rosário. Óbvio que isso é muito perigoso, visto que teve gente que morreu apenas por furar o dedo com o equipamento utilizado para fazer os buraquinhos nas sementes.

2. Atropa belladonna (beladona)

Também chamada de “cereja-do-inferno”, a beladona é nativa da Europa, África do Norte e Ásia Ocidental. Rica em um alcaloide chamado tropano, a espécie pode causar delírio e alucinações. Outros indícios do envenenamento por beladona incluem perda da voz, boca seca, dor de cabeça, dificuldades respiratórias e convulsão.
Toda a planta é danosa, mas os frutos são os mais perigosos, uma vez que são saborosamente doces e costumam atrair as crianças. São necessárias de 10 a 20 cerejas para matar um adulto, mas basta apenas uma folha (na qual a toxina é mais concentrada) para pôr fim à vida de um homem.
Por mais estranho que pareça, no período elisabetano (século 16), as pessoas usavam a beladona como parte de sua rotina cosmética diária. Elas utilizavam gotas feitas a partir da espécie como colírio, visando assim dilatar as vistas. Na época, isso era considerado algo atraente, pois passava uma aparência sonhadora no modo de olhar.
Levando em consideração que as mulheres bebiam cianeto e se “sangravam” para adquirir um aspecto pálido e translúcido na pele, pingar veneno nos olhos parece brincadeira de criança – e você pensando que a ditadura da beleza começou agora, não é mesmo?

1. Ricinus communis (mamona)

Quem nunca brincou de tacar mamona nos amigos? Sabia que, na verdade, você estava jogando granada nos outros? Não é para tanto, mas a planta que pode ser encontrada em qualquer matagal brasileiro contém uma grande quantidade da toxina ricina.
Embora o processo de extração do veneno seja um tanto complexo, em Las Vegas as autoridades descobriram uma boa quantidade da substância em um quarto de hotel, em fevereiro de 2008. As investigações apontaram que a KGB utilizava o componente para silenciar permanentemente a oposição.
Uma semente crua de mamona é suficiente para causar uma morte sofrida, agonizante e repleta de dores. Os primeiros sintomas da intoxicação aparecem logo nas primeiras horas depois do envenenamento, o que inclui a sensação de queimação na garganta e nos olhos, dores abdominais, bem como diarreia e vômito com sangue. O processo é incontrolável e só termina quando a vítima falece por desidratação.
Um fato curioso é que os humanos são os mais sensíveis em relação às sementes, bastando de uma a quatro para pôr fim a um adulto, 11 para matar um cachorro e 80 para assassinar um pato. Levando isso em consideração, as mamonas estão em primeiro lugar no livro dos recordes como as plantas mais venenosas do planeta.
Fonte:http://www.megacurioso.com.br/plantas-e-frutas/62072-descubra-quais-sao-as-11-plantas-mais-venosas-do-mundo.htm
LEITOR COLABORADOR DONO DO GADO HOMEM

Postagens mais visitadas deste blog

XINGU : O PARQUE NACIONAL INDÍGENA DO XINGU

JARDIM VERTICAL : PAREDES VIVAS,COMO SOLUÇÃO PARA OS TEMPOS MODERNOS

PLANTAS COMPANHEIRAS E PLANTAS ANTAGÔNICAS : ALELOPATIA